Blog featured image

Precisamos falar de coleta seletiva!

Um problema real onde quase tudo é descartável


Publicado em 09/10/2017 | Por Edson Souza

Vivemos em uma rotina de consumo onde quase tudo é descartável. Compras são feitas mensalmente ou até mesmo semanalmente variando com a necessidade e o tipo de produto que está sendo comprado. A variação ocorre desde produtos que são para consumo como alimentos essenciais a produtos superficiais como doces, roupas entre outros artigos. O consumo não é necessariamente ruim, pois ele é necessário e deve ser feito corretamente, porém o mesmo também traz consequências. Sendo elas o lixo que é gerado por todo esse consumo.

Mas, o que fazer? Devemos parar de consumir? Essa ideia parece extremamente absurda, não somente parece absurda como também é impraticável. Todo ser humano possui necessidades básicas, onde precisa se alimentar, se vestir manter a boa saúde. E para tanto é necessário consumir!

problema com o lixo

Por que o lixo é um problema?

O lixo não é somente um problema ambiental, mas também um problema pessoal de cada indivíduo. O descarte incorreto do lixo mostra um reflexo de uma má educação, ocasionado por ignorância, na qual pode não ser voluntária, mas uma ignorância involuntária pelos hábitos de criação e do meio no qual a pessoa vive. Para uma pequena noção do problema, o lixo gerado em média é de 800 gramas a 1 kg de lixo diariamente por cada pessoa, considerando todos as pessoas de uma cidade como São Paulo, isso equivale 3750 caminhões lixo carregados diariamente.

A questão do lixo malcuidado traz problemas para o próprio ambiente doméstico direta e indiretamente. Diretamente ao descartar incorretamente variados lixos em somente uma lixeira na casa, onde além do mal cheiro, pode trazer problemas com insetos e com eles as doenças. Indiretamente o problema do lixo, volta a refletir a cada pessoa quando não separado corretamente, onde muitas vezes o lixo sequer é separado. Indo para aterros, gerando riscos de poluição da terra, rios e lençóis freáticos. Dessa forma causando doenças naqueles que chegam a consumir a água ou mesmo qualquer alimento da terra contaminada.

Mas como resolver essa questão do lixo?

Primeiro passo sem dúvidas é conscientizar as pessoas próximas, isso de forma alguma é um clichê, mas uma realidade que pode ser vista e sentida por cada um. Após a conscientização, é hora de falar de coleta seletiva.

Coleta seletiva é a separação de resíduos orgânicos e inorgânicos, com categorias especificas para cada tipo de material, essa separação pode ser feita facilmente por uma lixeira de coleta seletiva. À primeira vista não parece ser tão relevante a separação do lixo, mas ela é! Ao separar o lixo permite que os materiais separados possam ser reaproveitados, garrafas pets podem novamente se tornarem garrafas para novos produtos ou mesmo produtos artesanais, o mesmo pode ocorrer com vidro, alumínio, papéis entre outros materiais que também podem ser reciclados e se tornar novas matérias primas e com isso novos produtos. Ou seja, o que seria lixo para aterro agora se torna matéria prima para novos produtos, dessa forma diminuindo consideravelmente os resíduos a serem descartados.

A ideia de coleta seletiva, não é somente questão ambiental, mas também ideia que pode ser lucrativa. Em um país no qual tudo que compramos há uma alta carga de impostos, temos a pequena vantagem de gerar algum dinheiro com o lixo que está sendo reciclado. Há materiais que podem ser vendidos, como alumínio (diversos), cobre (diversos) entre outros metais. Ou mesmo fazer produtos artesanais para que possam ser vendidos.

Use lixeiras para coleta seletiva, elas são práticas e de fácil entendimento, sendo cada lixo separado por uma cor especifica com legendas que podem auxiliar a evitar erros. Ao separar o lixo não está ajudando somente o meio ambiente, mas a si mesmo e o futuro do nosso planeta.

 

Alguns modelos para coleta seletiva

Coleta seletiva Coleta seletiva Coleta seletiva Coleta seletiva Coleta seletiva

Confira mais informações sobre coleta seletiva clicando aqui!



Comente!